Dia do Meio Ambiente

Dia do Meio Ambiente

Neste dia do meio ambiente do ano de 2021, há aproximadamente um ano e 3 meses do início da oficialização da pandemia por COVID-19 gostaríamos de destacar um, entre tantos outros impactos negativos ao meio ambiente, causado pelos novos hábitos impostos para o período.

Em meio a pandemia, a máscara se tornou uma grande aliada para evitar o contágio do novo coronavírus. Mas o Equipamento de Proteção Individual (EPI) descartável também pode gerar um aumento significativo no volume de lixo.

As máscaras descartáveis produzidas, principalmente, de tecido sintético conhecido como TNT estão sendo amplamente utilizadas pela população pela praticidade, custo baixo e por não necessitar de ser lavada.

Mas a necessidade do uso, ao mesmo tempo que evita a transmissão e contaminação da Covid-19, trouxe um agravante: o descarte incorreto das máscaras descartáveis. Estima-se que o TNT leve de 400 a 450 anos para se decompor na natureza e as autoridades sanitárias do mundo já estão preocupadas com esta nova forma de contaminação ambiental.

A estimativa da Sociedade Americana de Química é que mensalmente sejam jogadas no lixo 129 bilhões de máscaras e 65 bilhões de luvas em todo o planeta.

Além dos riscos de contaminação pelo vírus da covid-19, que se mantém vivo por até três dias em plásticos, o material pode causar impactos ambientais quando destinado a aterros ou à incineração, com possível emissão de poluentes no ar. O custo de descarte seguro é alto e muitas vezes o resíduo chega nos rios ou no mar, atingindo a biodiversidade.

 Para tentar conter as consequências da utilização excessiva, mas necessária de equipamentos, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manaus, chegou a desenvolver a tecnologia de uma caixa esterilizadora que permite a reutilização dos EPIs, mas o projeto ainda está em fase de adaptação para o mercado.

Segundo o diretor do Instituto Lixo Zero Brasil, o problema é a máscara descartável sem o descarte correto. “Porque quem descarta uma máscara na natureza é a mesma pessoa que descarta uma latinha, o papel, de forma irresponsável. Nesse caso, nós temos um grande impacto porque houve um aumento desse material na natureza”

Como podemos diminuir nosso impacto?

 Especialistas e a própria Organização Mundial de Saúde (OMS) concordam em um ponto: é melhor usarmos máscaras caseiras, feitas de tecido, do que as hospitalares descartáveis. “São muito específicos os grupos que devem utilizar esse tipo de máscaras [hospitalares]. Em geral, elas devem ser reservadas a uso hospitalar mesmo”, comenta a Ecoa o médico Carlos Rodrigo Zárate-Bladés, diretor do Laboratório de Imunorregulação da Universidade Federal de Santa Catarina. Mas as máscaras de tecido não são eternas, é claro. Primeiro, porque precisam ser lavadas a cada uso. “Temos de tratá-la como nossa camiseta preferida: precisa ser bem lavada e ponto. Nada a mais. Porque a cada vez que adicionamos um tratamento, estamos danificando o tecido, fazendo com que fique menos compacto e perca as características necessárias de filtração”, pontua Zárate-Bladés.

Então, como descartar de maneira adequada as máscaras descartáveis?

A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES) alerta que existe uma maneira correta para descartar máscaras e luvas usadas. É preciso colocar os materiais dentro de dois saquinhos plásticos (um dentro do outro), amarrar bem forte e jogar no lixo comum, o que chamamos usualmente de “lixo do banheiro”.

É importante ressaltar que a máscara de proteção ou qualquer material descartável usado para conter a pandemia, como luvas ou aventais, não devem ser jogados em lixo reciclável. Se os materiais tiveram contato com uma pessoa contaminada, o cuidado deve ser redobrado e deve ser sinalizado ao ser colocado no lixo em um saco plástico com os dizeres RISCO DE CONTAMINAÇÃO.

De quem é a responsabilidade pelos resíduos?

 A Lei 12.305 que diz que o governo, empresas produtoras e distribuidoras e o consumidor são co-responsáveis, começando pelo consumidor que decide consumir e é dele o primeiro passo para mandar esse material de volta para a cadeia produtiva, dar o encaminhamento correto e seguro a esse material.

Fonte: www.brasildefato.com.br/2020/09/01/como-a-mascara-descartavel-pode-impactar-o-meio-ambiente
https://www.neoenergia.com/pt-br/te-interessa/meio-ambiente/Paginas/mascaras-saiba-como-realizar-descarte-correto-preserve-meio-ambiente.aspx

Deixe uma resposta

Fechar Menu